Podemos Perder a Salvação?

PODEMOS PERDER A SALVAÇÃO???

Bom, antes de qualquer quero frizar que nada disto tem relevância para a salvação. De qualquer forma, a salvação é somente em Cristo Jesus nosso SENHOR.

Acho muito interessante o conceito de “Perseverança dos Santos”. Com todo respeito, acho cômico os exemplos de Wayne Grudem (teólogo renomado que escreveu uma teologia sistemática) para justificar a perseverança dos santos e a predestinação. Como arminiano declarado, entendo que perdemos a salvação sim. “Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que crêem para a conservação da alma. (HB 10:39)”. Para arrazoar quanto a perda da salvação, não podemos desvincular o conceito calvinista de eleição dos santos. Daí vem os supralapsarianos e os infralapsarianos, ou seja, alguns crêem que a eleição dos santos foi feita antes de Deus formar o mundo e outros crêem que posterior a Cristo, Deus elegeu os salvos, portanto, os calvinistas mais calvinistas que o próprio João Calvino.

É interessante observar que os textos bíblicos usados para argumentar a perda da salvação respeitam os princípios de hermenêutica considerando o seu contexto.

Compreendo que a predestinação ela é condicional, a partir do momento que o homem responde a ação convincente do Espírito Santo em seu coração, ele se torna um predestinado a desfrutar das bênçãos espirituais da salvação. “Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença, (EF 1:4), ou seja, antes da criação do mundo, os que viessem a crer em Cristo, viveriam uma vida santa e irrepreensível na sua presença. Esses se tornam em Cristo, predestinados para a adoção, redenção e escolhidos. Veja bem, não fomos predestinados para crer em Cristo, mas em Cristo os que crêem, foram predestinados para desfrutar dessas bênçãos. Há muitos que interpretam o texto bíblico tornado-o contraditório com todo um contexto”. Tudo isto está em Efésios capítulo 1. Portanto, a predestinação não é tratada como uma afirmativa teológica de que Deus escolheu os salvos, mas os que crêem em Cristo estão predestinados para a salvação, ou seja, ela será plena nos céus, correndo o homem o risco de perdê-la aqui na terra se não perseverar, porem, perseverar não segundo o conceito calvinista como o próprio Paulo escreve em Romanos 8:23 > “E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo”, esperando a Glória de Deus ser manifestada de forma plena e desfrutemos do céu definitivamente.

O autor da epístola aos hebreus é mestre em soteriologia. Para perder a salvação, basta tê-la. A Palavra de Deus diz que somos salvos pela graça. Graça é um favor imerecido de Deus. Podemos nós rejeita-la ou não. Quando o autor aos hebreus escreve sobre a perseverança dos santos, deixa bem explícito que muitos estavam deixando o caminho devido as lutas e tudo mais. Acho interessante dizermos que os verdadeiros salvos perseveram, porém, ao colocar desta forma, entendo que estamos dando ao homem o mérito da sua salvação, e então, já não é mais a graça de Deus, mas sim o homem com seus esforços, ou seja, as suas obras.

Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama. (II Pedro 2:20-22). Ora, será que o apóstolo Pedro está contradizendo Jesus? Vamos ver o que Jesus orienta aos seus discípulos:

Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem. (Lucas 21:36). Ora, se não perdemos a salvação, porque devemos vigiar? Nisto fica meio sem sentido dizer que não perdemos a salvação e vivemos de acordo com a “perseverança dos santos”. Na verdade, será que o autor de Hebreus está dizendo que os salvos devem perseverar, pois, somente eles serão salvos e mais ninguém? Logicamente se eu não perseverar perderei a minha salvação e deixarei de ser predestinado ao céu, pois neguei a fé, mas isto não quer dizer que Deus não me escolheu ou escolheu para ser salvo.

Vamos ver os textos usados para argumentar que não perdemos a salvação:

Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.

Jesus está dizendo isto aos judeus que não criam nele como o Filho de Deus. Então Jesus se apresenta como o pão da vida como condição para a salvação. Logo, aqui Jesus condiciona que os que vierem a crer nele serão realmente salvos, ou seja, o homem responde satisfatoriamente, e não diz que Deus predestinou a esses a crer. Se não perdêssemos a salvação, não precisaríamos do Espírito Santo aqui na terra para nos orientar.

Mas fiel é o SENHOR, que vos confirmará, e guardará do maligno. (II Ts 3:3)

O apóstolo Paulo não está se referindo à não perda da salvação neste texto, mas ele está encorajando os tessalonicenses a perseverarem diante da PERSEGUIÇÃO. Aqui ele roga aos tessalonicenses que orem por ele e seus companheiros dos homens maus e encoraja-os a não desanimarem por causa das lutas. O que diz o contexto imediato? Vejamos o versículo anterior e posterior: (Orem por nós) ...para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque a fé não é de todos. E confiamos quanto a vós no Senhor, que não só fazeis como fareis o que vos mandamos. (II Ts 3:2;4).

Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama. (II Pedro 2:20-22).

No amor de Cristo,

Rodrigo, Pr.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Dois Fundamentos - Mateus 7:24-27

Sermão 08/03/2015 - TEMA: A Vitória da Cruz!

Mensagem da Semana - Moisés, Arão, Hur e Josué