A mensagem e o mensageiro!

Deus sempre usou profetas para confrontar o pecado do seu povo e chamá-los ao arrependimento. A principal função do profeta é falar em nome do Senhor segundo as palavras do próprio Deus. O profeta é um mensageiro, portanto, o portador ou o porta-voz daquele que o comissiona. O profeta não é maior que a mensagem que carrega.

Houve nos tempos da antiga aliança um profeta em Judá chamado Jeremias. Antes da sua chamada como profeta, por nascimento ele já contava com o status de sacerdote.

Uma grande e bela carreira lhe era garantida como sacerdote. Sua função seria apenas oferecer sacrifícios e cuidar das tarefas diárias do templo. Não teria Jeremias nenhuma outra função senão a de ter uma boa relação com o povo e cumprir as ordenanças de Moisés.

Porém, Deus o separa para profeta. Não seria uma tarefa fácil, afinal de contas, confrontar Judá que se encontrava numa situação de prostituição religiosa, governada por reis corruptos e corruptores não era nada nobre ou que lhe trouxesse status tal qual a função de um sacerdote.

O que me chama mais a atenção na vida de Jeremias é a fidelidade dele a Deus. Ele não buscava aprovação de homens, não pregava o que era bom aos ouvidos dos homens, e principalmente, nada fazia segundo suas convicções pessoais. Foi ele um homem fiel a Deus de forma irrestrita. Não negociou a mensagem em busca da aprovação de homens. Isso me faz recordar o apóstolo Pedro, Paulo e demais homens comissionados por Cristo que foram fiéis à sã doutrina como mensageiros de Cristo. Eles não eram maiores que a mensagem, antes a mensagem era mais importante que a própria vida deles.

Lembro-me de filmes épicos onde os mensageiros, enviados por reis, após a entrega da mensagem voltavam decapitados pelo mesmo caminho que vieram, guiados por seus cavalos sem negociar a mensagem de seus reinos em detrimento da própria vida.

Os pastores, líderes e pregadores da palavra de Deus são profetas! Ao abrirem suas bocas profetizam segundo a Palavra de Deus revelada. Anunciam em nome do Senhor ao mundo e aos rebanhos que lhe são confiados a vontade de Deus para suas vidas.

Entretanto, quando proclamamos, fazemos segundo a vontade de Deus e em nome do próprio Deus? Também surge outra questão: Quem o povo tem ouvido ou quer ouvir? No capítulo 26 do livro do profeta Jeremias nos mostra o contraste entre dois profetas que falavam em nome do Senhor.

A semelhança entre Jeremias e Urias consistia em que ambos falavam em nome do Senhor e eram profetas que denunciavam a rebeldia da nação que violava a aliança com o seu Deus.

Porém, a grande diferença consiste em que Jeremias falava ao povo diretamente as palavras do Senhor, enquanto que Urias profetizava segundo as palavras de Jeremias.

O que reforça esse entendimento é a postura que cada um deles terá diante da ameaça que recebem. Jeremias, ameaçado pelo povo e pelos sacerdotes, ousadamente não se intimida e diz a eles: “estou entregue em vossas mãos para que façam o que quiser....fiquem cientes que derramam sangue inocente”. Entretanto, Urias ao receber uma ameaça de morte por parte do rei, temendo por sua vida, foge para o Egito.

O resultado foi a morte de Urias e a preservação da vida de Jeremias.

Aprendo algumas lições preciosas aqui quanto a anunciar a mensagem do Senhor. Os mensageiros fiéis a Deus que o envia e os comissiona:

  1. Não temem em anunciar a sua mensagem;
  2. Não negociam a sua mensagem;
  3. Não temem pelos resultados da mensagem;
  4. Não buscam aprovação pessoal através da mensagem.

O verdadeiro comissionado sabe para quem faz e o que faz.

Continua...

No amor de Cristo,

Rodrigo, Pr.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sermão 08/03/2015 - TEMA: A Vitória da Cruz!

Os Dois Fundamentos - Mateus 7:24-27

Mensagem da Semana - Moisés, Arão, Hur e Josué