Sermão 15/03/2015 - Vivendo através da Cruz

Tema: Vivendo através da cruz
Lucas 14:25-33

Irmãos e irmãs, esta é a terceira mensagem da série O DISCÍPULO E A CRUZ. Temos ouvido testemunhos maravilhosos de vidas sendo impactadas pela cruz. Ter um encontro com a cruz é ter um encontro com o próprio Cristo. Todos que tem um encontro com Cristo não permanecem igual. Isso é poderoso!
Na passagem que lemos Jesus nos leva a considerar o custo de segui-lo. Há um preço a ser pago e precisa ser devidamente calculado e a intenção deste cálculo é deixar claro que não existe meio termo e não há espaço para inconstâncias nesse serviço a Cristo, nesse caminho de cruz, enfim, nesse viver através da cruz. Por que a cruz e não outra maneira de seguir a Cristo? Qual é o principal objetivo de Deus nesse viver através da cruz? Qual é o objetivo de tais exigências? A resposta é que o princípio da cruz é a maneira usada por Deus para nos levar a parecer com Jesus Cristo. O que significa discípulo? Essa palavra significa aprendiz, pupilo, aluno. Jesus quer olhar para nós e dizer: “Ele e ela são meus pupilos, são meus aprendizes, são meus alunos”. Viver através da cruz é viver através de Jesus e viver através de Jesus é viver como Ele viveu, mas ele não nos engana. Ele sabe que nosso EU detesta ser contrariado e é um nível de contrariedade absurda que não é obrigatório, mas uma escolha, em outras palavras, ninguém é obrigado a segui-lo, mas se quiser tem um preço tem uma cruz. Saiba minha amada e meu amado que a cruz nos põe em crise. Então, vamos mergulhar nesse convite de Jesus e que ao término dessa mensagem possamos todos dizer como Paulo: “Mas longe esteja de mim, eu gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual o mundo está crucificado para mim, e eu para o mundo”. Gálatas 6:14

1.Viver através da cruz é submeter tudo o que somos e temos ao Pai (v.26-27)
Jesus diz que ir a Ele e não aborrecer pai, mãe, mulher, filhos, irmãos, irmãs e ainda a sua própria vida não pode ser seu pupilo, seu aprendiz, seu aluno.
Esse aborrecer deve ser entendido como abrir mão de duas formas: a) Deixar (odiar) (ser odiado; detestado). Essa de forma mais literal é o que vemos acontecer em países cuja cultura rejeita a fé cristã. É quando uma pessoa para ser discípulo de Jesus paga o alto preço de ser considerada morta por sua família, amigos, enfim, assim como seu Mestre aceita ser crucificado. b) Submeter (abrir mão) (entregar a si e sua família). Esse entendimento é o mais próximo de nós hoje que gozamos da liberdade para viver o Evangelho. Isso significa submeter tudo completamente, até mesmo a sua própria pessoa, no compromisso total com Cristo. Isso não é privilégio dos missionários e dos pastores, mas de todo cristão.
Um exemplo negativo disso é o jovem rico (Lucas 18:18-23). Ele não submete tudo a Jesus. Ele exemplifica uma pessoa que não submete tudo o que é e o que possui a Cristo, que não vive através da cruz, mesmo sendo religioso. I.Ele quer chegar a Deus pelos seus esforços (v.18 – “que (eu) farei” e v.21 – “tudo isso (eu) tenho observado desde a minha juventude”). É mais fácil seguir regras segundo os seus padrões de vida cristã do que submeter sua vida cristã na direção da cruz. No discipulado não existe espaço para “EU”. Meu “EU” se submete à cruz.
Qual é o princípio que o aluno aprende do Mestre? Filipenses 2:5-8 – “Tende em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus [...] obediente até à morte e morte de cruz.” Ser discípulo de Jesus, pelo exemplo Dele, é você abrir mão de tudo e até de si mesmo para caminhar com Ele. “Vem e segue-me”. II.Ele tem que decidir diante do confronto (v.22 “uma coisa te falta” [...] “vende tudo” – v.23 “ficou muito triste”). Irmãos o jovem rico se entristeceu diante do confronto de Jesus. Para seguir a Jesus é necessário ter apenas um só Senhor. Aquele jovem não conseguiu submeter. Veja que Jesus nos põe em situação de escolha: Ou você vai para a cruz ou você o põe na cruz; ou você se torna escândalo ou você se escandaliza; ou você perde nessa vida para ganhar na vida eterna ou você ganha nessa vida para perder na vida eterna. É nesse sentido que Ele fala do cálculo da construção. Não tem meio termo.
Aplicando para a nossa vida, o quanto temos nos submetidos a Jesus como seus pupilos? Ele se submeteu ao Pai para amar os que o odiavam, para abrir mão do seu trono para viver entre nós, perdoou os que o maltratava e rejeitava, não tinha mágoa ou qualquer outra coisa. E eu e você? Amamos, perdoamos, O deixamos Senhor das nossas finanças, filhos, esposa, trabalho, tempo, enfim. O padrão não é meu, mas é o de Cristo, e o custo é submeter-se a ponto da sua própria vida. Significa não agradar a nós mesmos. Deus age no nosso EGO a partir da nossa renúncia e nos alinhamos com a Sua vontade, quando essa é contrária a nossa. Qual área da sua vida precisa ter um encontro com a cruz?

2.Viver através da cruz é o caminho da transformação para sermos segundo a imagem de Cristo (v.27)
Ser discípulo de Jesus é um padrão elevadíssimo. Fico acompanhando a nossa turma de jiu-jitsu e karatê. Por exemplo, no jiu-jitsu existem níveis de graduação. Para criança começa na faixa branca, vai para a cinza, depois amarela, depois laranja, depois verde, depois azul, depois roxa, depois marrom e depois preta. Maior de 16 anos começa branca e se estiver apto vai direto para azul. Depois de certa experiência, se ele é mais graduado ainda ele pode chegar à cor coral (preta e vermelha) e depois de muito tempo ele pode receber a vermelha credenciando-o para ser mestre de mestres, o “gran-mestre”.
É um treino pesado, acompanhado por um mestre ou por alguém que está em um nível de maturidade maior, ou seja, que tem pelo menos uma graduação acima e que conhece as técnicas e as domina bem.
Viver o caminho da cruz é a mesma coisa! Estamos em um processo de transformação, de graduação da nossa fé e da nossa intimidade com Deus. O alvo no jiu-jitsu é a próxima faixa. O alvo na vida cristã, o alvo da vida na cruz é a imagem de Cristo em nós.
“Tende em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus”. O processo de transformação segue o caminho dos paradoxos, o caminho das contradições. I. Para crescer você precisa diminuir; II. Para subir você precisa descer; III. Para ganhar você precisa perder; IV. Para ser o primeiro você precisa ser o último; V. Para viver você precisa morrer; VI. Para ser o maior você precisa ser o menor; Como evoluímos de uma graduação a outra? Na prática isso se dá na vida cristã:
a)Através do quebrantamento (Mateus 26:36-46) – Quebrantamento da alma e do EGO. É a vida no Getsêmani. Você está indo para a cruz, está clamando ao Pai que está doendo, pede para Ele afastar o cálice, mas você aceita beber da vontade Dele. No Getsêmani você, a caminho da cruz, talvez esteja chorando a necessidade de perdoar alguém, um parente, um amigo, mas é difícil. Talvez você esteja chorando a sua necessidade de libertação de um pecado, de um vício, da sua falta de fé na vida financeira, na sua necessidade de aprender a ser submisso ao seu líder se permitindo humilhar, se contrariar e você luta com isso. Talvez você esteja em outro estágio, o de atender a um chamado específico para a sua vida. Lembra que a cruz é o caminho das escolhas e das rejeições? Por isso a necessidade do quebrantamento, do derramar lágrimas e sangue.
b)Através da humildade (Mateus 5:3) – Humildade é um valor gerado pela cruz. É obra do Espírito. O que te move é a necessidade de aprovação do líder, do marido, da esposa, do patrão? É uma motivação egoísta? O que te move é a tua capacidade? Através da humildade você encara e avança nesse processo de transformação. O melhor teste para a sua humildade nesse processo de transformação na imagem de Cristo é o “NÃO”. Se o aluno de jiu-jitsu não for humilde para aprender e ser corrigido e contrariado, seu mestre não o graduará para a próxima faixa. Ser contrariado por Deus, pelas situações, pelas pessoas, enfim. Quando você ouvir um NÃO se lembre de que você está aprendendo a ser como Jesus. O silêncio do Pai no Getsêmani foi ensurdecedor para Jesus, mas Ele se submeteu. A cruz nos põe em crise!

3.Viver através da cruz é o caminho da vida cristã vitoriosa (v.27)
Depois da cruz o que vem a seguir? A ressurreição! Depois da ressurreição o que vem a seguir? O Pentecostes. Jesus requer se passemos pela cruz. O nosso esforço, o sucesso humano, a nossa agenda e as nossas prioridades precisam ir para a cruz. Quando todas essas coisas vão para a cruz aí vem a glória. Só há glória se houver cruz. O fim é sermos conforme a Imagem de Cristo. Como assim vida vitória através da cruz?
a)A vitória consiste em viver o pentecostes. O que aconteceu no dia de pentecostes? O Espírito Santo desceu sobre os homens. Portanto, o Pentecostes marca a vida selada pelo Espírito Santo. Aquele Pedro fracassado deu lugar ao Espírito de Deus. Agora: I. Pedro vive pelo poder do Espírito; II. Pedro tem uma missão; III. Pedro se alegra com os sofrimentos por causa de Cristo.
b)A vitória consiste em viver o Fruto do Espírito. Gálatas 5:16; 22-24. Veja que a agora podemos viver o Fruto do Espírito. No verso 24 diz que isso é possível porque “os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências”.
c)A vitória consiste numa vida de poder. Poder para cumprir a missão, poder para vencer o pecado, poder para servir, poder para perdoar, poder para atender ao chamado.
I.Em suma, você deseja ser controlado e fortalecido pelo Espírito?
II.Quais pecados você precisa confessar hoje?
III.Você já apresentou cada área da sua vida a Deus?
IV.SEJA CHEIO DO ESPÍRITO SANTO E CREIA NA SUA PROMESSA.
Esse é o princípio da cruz, através do qual Deus nos restaura, dia a dia, a um viver espiritual, identificando com o mesmo estilo de vida que Jesus viveu. Você quer uma vida de poder? Vá para a cruz!

Rodrigo Rodrigues Lima
Pastor

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sermão 08/03/2015 - TEMA: A Vitória da Cruz!

Os Dois Fundamentos - Mateus 7:24-27

Mensagem da Semana - Moisés, Arão, Hur e Josué