Sermão 20/09/2015 - TEMA: Sem rodeios e sem máscaras. Orando no Getsêmani para uma vida abundante.

Sem Rodeios e Sem Máscaras
Orando no Getsêmani para uma vida abundante
Mateus 26:36-45

Amadas irmãs e amados irmãos, graça e paz. Na semana passada iniciamos uma série de mensagens sobre discípulos com vida abundante. Deus nos levou a refletir através da Sua Palavra no chamamento de Jeremias que vida abundante consiste em ser realizado em Deus. Viver um chamado ilimitado, confiado no Seu poder e na Sua Palavra eterna, não resistindo à modelagem de Deus, antes se entregando a Oleiro para que através das pressões da vida e das bênçãos de Deus nos tornar vasos úteis e belos refletindo a beleza do artista Oleiro. Vida abundante, portanto, além de ser realizado em Deus é também refletir o próprio Deus em nossa vida, pois, o extraordinário e excedente é percebido nas motivações, no nosso jeito de ser e de agir.
Hoje quero com você aprender a orar com Jesus para uma vida abundante, extraordinária e excedente no Getsêmani. Mas, você pode me perguntar: Como viver o extraordinário de Deus nessa situação? Isso parece contraditório! Você se lembra de que viver a vida abundante, extraordinária e excedente é ser realizado em Deus e refletir o próprio Deus? Vamos aprender com Jesus no Getsêmani o que isso significa. Orar sem rodeios e sem máscaras é ter um encontro com Deus no Getsêmani e experimentar a sua boa, perfeita e agradável vontade. (v.36)
O Getsêmani era o nome de um lugar ao pé do Monte das Oliveiras e seu significado é lagar de azeite. Lá havia uma ou duas pedras circulares enormes que giradas em círculos pressionavam o fruto da oliveira produzindo o azeite. Foi ali no lagar de azeite que Jesus escolheu fazer sua oração sem máscaras e sem rodeios para, como um vaso útil e belo, cumprir o propósito do Pai. Foi ali que Ele escolheu se ver realizado no Pai. O que isso comunica a nós?

1.Getsêmani é o lugar para apresentar nossas angústias em oração (v.37,38)
Jesus estava profundamente triste. Ficamos angustiados por problemas da vida e isso é algo absolutamente normal. Entretanto, nós cristãos que vivemos no século XXI onde existem muitas correntes teológicas, algumas delas que afirma que crente não sofre, criamos uma imagem de Deus como alguém que deveria nos poupar do sofrimento. O plano de Deus não é que você não sofra. Jesus mesmo disse: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” (João 16:33b) O sofrimento é algo inerente à nossa natureza pecaminosa. O plano de Deus é que você se pareça com o Seu Filho. Jesus que é Deus encarnado se identifica com a nossa humanidade! Qual outro Deus em todas as religiões do mundo topou se identificar com a nossa humanidade? Para Ele ser o Salvador, se fez necessário sentir o que sentimos. Ele veio para fazer a vontade do Pai. Ele disse: “[Pai] Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer.” (João 17:4) Você se lembra de que vida abundante e extraordinária é ser realizado em Deus e refletir o próprio Deus, em outras palavras, viver a vontade do Pai? Jesus sofreu e se angustiou. Que tipo de angústia Jesus apresenta ao Pai?
I.A angústia de não ser poupado do sofrimento – Jesus não fez nada de errado! Mesmo assim, Jesus sofre o dano. Muitas pessoas deixam de buscar a Deus porque quando fazem a vontade de Deus se deparam com o oposto do que esperavam. Sabe quando você decide obedecer a Deus e a amá-lo e o resultado não é o que você esperava?
II.A angústia da solidão – No Getsêmani, no lagar de azeite, Jesus se vê só. Quando se está angustiado parece estar ilhado. E isso muitas vezes realmente acontece. Jesus se volta para Seus amigos. Eles estão dormindo (v.40) – como os nossos, ou como nós muitas vezes quando estamos ocupados, ou distantes, ou preocupados.

Quero dizer que é aqui que muitos cristãos que tem a oportunidade de avançar para um grau maior de intimidade com Deus retrocedem. Eles voltam para trás e deixam de orar de verdade.
Você faz um pedido a Deus e Ele responde com um “não” ou “espera”, logo, vem a frustração. É aqui que, sem querer, aprendemos a usar máscaras na nossa vida cristã e começamos a orar com rodeios porque a incredulidade e a frustração de orações não respondidas te fazem um desviado ou um cristão que frequenta a igreja porque acredita em Deus, porém, vivendo como um agnóstico, ou seja, com a boca você diz que ama a Deus, mas lá no fundo do coração, por causa das decepções da vida, com pessoas, com a igreja e da sua tentativa de buscar uma resposta em Deus, o que encontra é silêncio e ou um “não”, e isso fere o seu coração tornando Deus um ser distante ainda que perto. Você muitas vezes não quer admitir, mas está decepcionado com Deus e ora porque sabe que deve orar, mas não acredita muito que Deus responda as suas orações. Lá no fundo dizemos: “Orar para quê?”
Jesus hoje quer restaurar o seu coração, a sua fé e intimidade com Ele a despeito do que tenha acontecido em sua vida.

Vida abundante, extraordinária e excedente é aprender a amar a Deus e a confiar Nele mesmo quando estamos angustiados por fazer a Sua vontade ou quando a resposta de Deus é um “não” ou um “espera”.

2.Getsêmani é o lugar para aprender a se submeter à vontade de Deus em oração (v.39)
A oliveira é plantada com o propósito de dar o azeite ao homem. Quando seus frutos são colhidos, para que o propósito seja cumprido, ela precisa se submeter à vontade do homem no lagar.
Tenho aprendido ao longo de minha caminhada cristã que Deus faz a onda e eu apenas devo surfar sobre ela. Se submeter a Deus é pegar a onda. É saber que você foi plantado para dar um fruto e você também é este fruto que precisa se submeter a Deus para o cumprimento do seu propósito.
O que é orar? Orar é submissão a Deus. A verdadeira oração não é aquela que você acredita que vai mudar a Deus, mas é aquela que você é honesto com Deus, mas se mantém aberto a qualquer resposta de Deus. Faça como Jesus:
I.Você expressa sua vontade a Deus em oração (v.39) – Jesus disse ao Pai: “Afasta de mim esse cálice”. Jesus esboçou sua vontade. Ele não queria passar por aquela situação. Isso é orar a Deus sem máscaras e sem rodeios. Abraão orou pelo seu sobrinho Ló, quando Deus disse que destruiria Sodoma e Gomorra. Habacuque orou a Deus indignado com a maldade que imperava sobre Judá e a aparente passividade de Deus quanto àquela situação. Qual é a situação que você está passando hoje? Você apresentou a Deus em oração de verdade?
II.Você se submete à vontade de Deus em oração (v.42) – Jesus orou três vezes para que o Pai afastasse Dele o cálice da sua ira (Isaías 51:17). Porém, o surpreendente é que mediante o silêncio do Pai Jesus responde: “faça-se a Tua vontade”.

Aprendemos o seguinte: Se submeter à vontade de Deus não significa que não devo orar e pedir que Ele mude as situações atendendo ao meu pedido. Se submeter à vontade de Deus significa você recorrer a Ele e falar-lhe o que está no seu coração e esperar a resposta. Se Deus atender ao seu pedido, glória a Deus! Se Ele disser não ou disser espere, glória a Deus! Submeta-se à vontade de Deus! Confie nos seus propósitos. Vida abundante e extraordinária é se entregar a Deus e confiar na Sua vontade.  Vemos isso como exigências de Deus e elas muitas vezes parecem injustas e excessivas. Como se submeter? Olhe para Cristo. O servo não é maior do que o Seu Senhor.

3.Getsêmani é o lugar onde o melhor da oliveira é extraído
I.O azeite comunica alimento. (I Reis 17:14 – viúva de Sarepta). O azeite era usado para fazer alimentos. Nos alimentamos de Deus! 
II.O azeite comunica milagre. Tanto Elias (I Reis 17:14 – Viúva de Sarepta) quanto Eliseu (II Reis 4:1-7 – Viúva do profeta) viram Deus multiplicar o azeite de viúvas. É quando nos vemos diante das situações mais difíceis que Deus faz o seu milagre. Através do seu Getsêmani Deus quer multiplicar o teu azeite meu irmão e irmã. É nessa situação que Deus quer se revelar o Deus provedor de todas as coisas.
III. O azeite comunica preparação. (Mateus 25:1-13) Na parábola as dez virgens o azeite comunica preparação expectante para a volta de Jesus. As situações da vida nos podem nos manter em expectativa para a volta de Cristo.
IV.O azeite comunica intimidade. Eu vejo que o azeite comunica intimidade em dois aspectos: a)De Deus conosco (João 16:7) – Jesus é exprimido na cruz e derrama sobre nós o Seu Espírito. Um dos símbolos para o Espírito Santo é o azeite. Aprender a se submeter a Deus em oração é ser tomado pelo Seu Espírito. Ser submisso a Deus é ser cheio do Espírito Santo. Ele habitando plenamente em nós e nos guiando. b)O poder da igreja – Nós somos a luz do mundo. O azeite alimentava o candelabro todas as manhãs para iluminar o Lugar Santo. As igrejas do Apocalipse são chamadas de candeeiros (candelabros) Apocalipse 1:20. Tudo o que passamos tem o intuito de refletir a GLÓRIA DE DEUS!

Concluímos que vida extraordinária, excedente e abundante que Jesus promete para nós em João 10:10 não tem a ver com prosperidade e ausência de dificuldades, mas tem a ver com entregar-se ao Pai, ter intimidade com o Pai e viver o seu chamado. É deixar-se moldar segundo os seus planos sabendo que Ele sempre faz o melhor e que, independente das circunstâncias confiamos no resultado final que é desfrutar da Sua Presença na glória eternamente. Se hoje você se vê no Getsêmani, o que Deus está falando com você agora?
Rodrigo Rodrigues Lima
Pastor

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Dois Fundamentos - Mateus 7:24-27

Sermão 08/03/2015 - TEMA: A Vitória da Cruz!

Mensagem da Semana - Moisés, Arão, Hur e Josué