Sermão 11/10/2015 - TEMA: Reforma do caráter - Santidade - Relacionamento Transformador com Deus

Reforma do caráter - Santidade - Relacionamento Transformador com Deus
TEXTO: Isaias 6:1-8

A igreja de Cristo precisa de uma reforma no caráter. Quando se pensa em relacionamento com Deus, logo me vem à mente a palavra santidade. Santidade aponta para o caráter de Deus que deve ser o caráter da igreja.
Entendemos santidade como um conjunto de regras e atitudes que nos levarão até Deus. Pensamentos em um conjunto de “pode” e “não pode”. Pensamos em termos de comportamento primeiramente. Entretanto, é muito mais do que isso. O comportamento é uma conseqüência de algo muito mais profundo nesse processo de santificação ou de proximidade a Deus.
Primeiramente, devemos assumir que não temos nada de santo em nós mesmos por causa do pecado. Fomos concebidos em pecado (Salmo 51:5). Deus é Santo! Santidade é algo inerente a Deus. Nele não há maldade alguma. Então, quem no mundo está no mesmo nível da santidade de Deus? Ora, se eu não sou santo, mas Deus é santo e a Bíblia diz que sem santidade ninguém verá o Senhor. (Hebreus 12:14) Como serei santo se não adianta por meus esforços agradar a Deus? Bom, devemos entender que santidade é mais uma questão de relacionamento com Deus do que de fazer coisas certas para Deus. Quem se relaciona com Deus fazendo coisas para Ele não é filho e não está gozando da presença Dele, mas está agindo como o irmão do filho pródigo tentando agradar o Pai e se frustrando constantemente.
Santidade é uma consequência do meu relacionamento com Deus. Se você andar com pessoas que só falam palavrão o tempo todo, bem provável será que involuntariamente você falará ou pensará em falar. Se você andar com pessoas que só falam de jiu-jitsu, inevitavelmente você terá uma tendência a falar mais disso do que de qualquer outra coisa. Esse princípio também se aplica ao seu relacionamento com Deus. Quem se relaciona com Deus e vive na comunhão com Deus sofrerá influencias do caráter de Deus na sua vida. Então, como respondemos à pergunta “como viver a santidade?” A resposta é: vivendo com Deus, em um relacionamento de proximidade a Ele. À medida que me aproximo de Deus e me relaciono com Deus somos transformados. Mas, quais são as evidências desse relacionamento transformador com Deus?
A questão da obra prima - Kevin Mannoia ilustra bem isso no seu livro Vida Magistral. É como uma obra de arte pintada numa tela. As pessoas olham aquela obra, admiram e de tão maravilhadas que elas estão, dizem: “Quem foi o pintor dessa obra?” O olhar das pessoas vai para além da tela e chega no autor, pois, elas dizem “esta obra é magistral”, ou seja, esta obra é digna de um mestre!  Pois, Eis aí o segredo da vida de santidade. Quando as pessoas olham para as nossas vidas, ações, decisões e escolhas e logo dizem: “Esse cara é diferente”! “Quem está por trás da sua vida”? Alguns dirão: Ele vai à igreja! Mas, você sabe a resposta que é o simples fato de se relacionar mais com Deus. Quando a nossa vida está cheia de Deus, pois estamos andando mais com Ele, a nossa vida reflete a obra prima de Deus! Somos a obra Dele.
Então, como ter um relacionamento com Deus, de maneira que a nossa vida seja um espelho que reflete a imagem de Deus e sua Santidade e o mundo nota o Deus que há na sua vida?

1.Você está onde Deus está (v. 1)
Deus vem ao encontro de Isaías numa visão. É uma visão gloriosa. Deus revela sua glória em toda sua Santidade a Isaías. Quando eu era adolescente acreditava que precisava estar enfurnado na igreja todo o tempo para ter encontros com Deus. Minha avó dizia: “Por que não leva logo o colchão para a igreja e mora lá?” É verdade que ir à igreja é importante para encontros com Deus através da comunhão, mas essa não é toda a verdade dos encontros com Deus.
Eu ficava fascinado com aqueles que logo falavam línguas estranhas, tinham experiências poderosas e eu queria aquilo para mim. Eu as achava muito íntimas de Deus e muito espirituais. Lembro-me das conversas com meus amigos dizendo: “Quero ver um anjo.” Outro logo me alertava: “Quem vê anjos também vê demônios.” O que dizer daqueles que “caiam no Espírito”. Uma vez eu caí sozinho sem que alguém pusesse as mãos na minha cabeça porque queria passar a outros que eu tive também uma experiência única. Não estou criticando nada disso, apenas citando exemplos de situações que para mim parecia evidências de pessoas santas. Por que isso? Medimos o nosso relacionamento com Deus a partir da experiência do outro. Isso é terrível, frustrante e devastador para a nossa fé. De duas a uma, ou pensaremos que não somos espirituais ou faremos o maior estardalhaço para fingir que estamos na Presença de Deus. Se não bastassem todas essas coisas, outros ainda condicionam a presença de Deus a um cantor “x”, a um pregador “y”. Bom, a pergunta é: “Onde Deus está?”
DEUS NÃO ESTÁ LIMITADO EM HOMENS E AO DESEMPENHO DOS HOMENS. A distância entre mim e Deus pode ser imediatamente quebrada quando o meu coração estiver de joelhos. É com ousadia e intrepidez, pelo novo e vivo caminho, Jesus Cristo, que você e eu podemos estar onde Deus está. (Hebreus 10:19-22)
O caminho do relacionamento transformador com Deus é o coração de joelhos, a vida de oração pelo caminho que é Jesus. A oração não é uma fórmula ou um meio de manipular a Deus, mas um meio de nos submetermos a Deus. Quanto mais eu me aproximar Dele em oração, maior intimidade, mais o conhecerei e confiança e me submeterei a Ele e à Sua Vontade. Jesus nos ensinou a orar nos chamando para o quarto (lugar de intimidade). Lá no quarto, fechar a porta (privacidade e exclusividade) orarmos. O nosso Pai em secreto nos verá e nós o veremos. Oração parece um assunto muito chato, mas se não nos convencermos de que precisamos falar com o Pai, não teremos intimidade com Ele. Relacionamento só existe se relacionando. Oração é um meio pelo qual vou me submeter ao Pai e ouvir as suas respostas, sim, não e ou espere! Precisamos aprender a orar com Jesus: “Pai seja feita a Tua vontade”! Precisamos aprender a orar com Paulo e a ouvir: “Minha graça te basta”.
Eis o caminho de um relacionamento transformador com Deus. Deus vem a Isaías porque podemos afirmar que Isaías ia sempre ao encontro Dele. Esse é o caminho das águas mais profundas. Proximidade a Deus.
Quando não temos intimidade com Deus vivemos de fantasias e expectativas quase sempre frustradas. Esperamos algo mirabolante. Temos mania de nos imaginar como seremos quando estivermos onde Deus está. Pare com isso! Aproxime-se de Deus com seu coração de joelhos e Ele se revelará. Lembro-me de que uma vez fui visitar uma cliente. Quando ela abriu a porta da casa dela ficou decepcionada. Pensou que eu fosse um cara fortão e grandalhão por causa da minha voz grave ao telefone. Claro que Deus não é assim, mas muitas vezes projetamos um Deus que não existe. O que quero dizer é: Se você não se relaciona com Deus, todas as vezes que você abrir a porta esperando vê-lo, se frustrará porque Ele não estará lá. Ninguém irá a águas profundas se não mergulhar!

2.Revela quem eu sou para mim mesmo (v.5)
Essa verdade é um pouco mais complexa. Fico vendo como que pessoas com visões, revelações e profecias são tratadas com certa distinção das demais como se elas fossem mais santas do que outras. Concluímos que pessoas usadas por Deus são mais santas do que outras. Então, se a mula de Balaão foi usada por Deus com visão ela é santa, ou seja, ela tem o caráter de Deus? A Bíblia diz que Deus usa o ímpio para abençoar o justo, logo, podemos concluir que o ímpio é santo, ou seja, ele tem o caráter de Deus? Deus usa quem Ele quiser, da forma que quiser e na hora que quiser, entretanto, o lance da santidade não está ligado diretamente a ser ou não usado por Deus. O lance da santidade está ligado a ser ou não APROVADO por Deus. Óbvio que pessoas que estão no caminho da santidade viverão as prioridades de Deus e serão usadas por Ele. Claro que devemos ser usados por Deus, mas é melhor ser um usado por Deus que tem APROVAÇÃO. Quantas pessoas usadas que caíram em pecado, sabendo também que ninguém cai da noite para o dia. Eu mesmo não entendia como poderia ser usado por Deus e ao mesmo tempo estar cheio de culpa.
Certamente muitas pessoas se consagram para serem usadas. Mas, será que devo me consagrar só quando vou pregar ou cantar? Santidade é relacionamento. Veja que Pedro teve a revelação de que Jesus era o Cristo e horas mais tarde Jesus repreende satanás da vida de Pedro. Somos complicados!
Há quem acredite que por essas coisas uns são mais santos do que outros, mas você se lembra de que o exemplo de santidade não é o seu amigo ou vizinho, mas Deus? Ele é o Santo!
Isaías, quando viu a santidade de Deus falou: “Eu sou O cara!” Ou ele disse: “Sou o MAIOR profeta de Israel!” Claro que não! Quando Isaías vê a santidade de Deus, é como se ele estivesse pelado na frente de todo mundo e tivesse tomado de vergonha e um encontro com ele mesmo e então disse: “Ai de mim”. Ele reconheceu o juízo de Deus sobre o seu pecado. Aqui há uma grande verdade: Quanto mais próximo de Deus, mais humildade no meu coração e mais servo porque vejo que não sou melhor do que ninguém.
Você quer se parecer com quem? Com o seu vizinho bondoso? Não é uma má idéia! Mas, não vá às cópias, vá ao original! Não viva uma santidade pirateada, viva a santidade do original, a santidade de Deus! Se veja a partir do seu relacionamento com Deus. É de pai para filho! Eu olho para mim e olho para Deus e vejo que não sou nada, mas percebo o quanto Deus é amoroso e gracioso. A santidade de Deus revela todas as outras faces Dele. Você se lembra de Jesus e Pedro envergonhado? Você se lembra que quando reconhecemos que não somos capazes e estamos no fundo do poço há alguém que não nos ama por causa do nosso desempenho, mas nos ama porque nos fez e, então se aproxima de nós? Quanto mais nos cercamos da luz de Cristo, mais as trevas se dissipam da nossa vida. Quem tem um encontro com Jesus é curado da sua auto-imagem! Saberá reconhecer suas limitações e saberá lidar com suas fraquezas. Nosso EGO e VONTADES são confrontados e crucificados. Então, mais que pronto para ser usado por Deus, sou por ele aprovado. As pessoas passarão a ver Deus em mim. Quando reconhecemos o nada que somos, nos abrimos para Deus ser tudo em nós. Basta ver isso na vida de Isaías e de tantos outros como Moisés, Pedro etc...

3.Por causa do Seu toque purificador (v.7)
Glória a Deus! Quando confessamos, quando gritamos “ai de mim” recebemos o toque de Deus. O que estava oculto veio à tona e Jesus nos limpou com o Seu sangue. Deus não deixa a sujeira debaixo do tapete. Ele percorre todos os cantos da nossa alma e nos limpa.
O Senhor quer nos tocar com seu toque purificador. Foi o que aconteceu com a mulher adúltera. Jesus nos mostra o que somos e diante de tão grande graça e amor somos transformados.
É muito bom ter experiências com Deus. Eu tive muitas experiências, mas enquanto não houvesse transformação seriam apenas experiências.
O toque de Jesus transforma o caráter, transforma sim a conduta, mas é algo de dentro para fora. Ele quer mudar o nosso íntimo e assim desceremos, mergulharemos em águas mais profundas.
Porém, veja que Isaías foi tocado por uma brasa. Se eu bem imagino o que seja uma brasa, ela é quente e queima!
Já vi em filmes que para evitar infecções quando alguém se fere, para purificar de bactérias, ele pega a brasa e toca na ferida e assim a pessoa é salva. O toque de Deus muitas vezes poderá doer. O Espírito Santo é o fogo que queima e nos ajuda a viver essa vida de relacionamento. O fruto do Espírito está descrito em Gálatas 5:22-24. As evidências de que você tem recebido o toque do Espírito é quando você vive pelo Espírito numa vida tocada por essa brasa viva! Onde você precisa desse toque em sua vida?

4.E passo a ter as prioridades de Deus (v.8)
Quando Isaías recebe o toque de Deus, ENTÃO Deus lhe revela as suas prioridades. Deus lhe faz uma pergunta: “A quem enviarei? E quem há de ir por nós?”
O relacionamento com Deus que nos transforma desafia o status quo. Quem diz ser cheio de Deus, mas não vive as prioridades de Deus está em contradição.
Porém, observe que ser cheio de Deus é ouvir suas prioridades. Vida de serviço. Vida em missão. Santidade desemboca na missão, no testemunho, em refletir Cristo a este mundo pecaminoso.

Rodrigo Rodrigues Lima
Pastor


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Dois Fundamentos - Mateus 7:24-27

Sermão 08/03/2015 - TEMA: A Vitória da Cruz!

Mensagem da Semana - Moisés, Arão, Hur e Josué